fbpx

Família que fica no Brasil

Desde que eu, Milene, comecei a viajar sem data para voltar, sempre viajei sozinha. Foram várias vezes que passei pelo Duty Free do aeroporto aos prantos pensando quando que eu veria a minha família de novo.

Ao mesmo tempo, eu sabia que eles estavam do lado de fora do aeroporto torcendo por mim, mas devastados por eu ter escolhido um caminho tão longe. Hoje, eu consegui trazer os meus pais para o Canadá e isso é incrível, inesperado e inacreditável. Até hoje, ainda não caiu a ficha que eles estão aqui.

Mas vamos falar de vocês… compartilhem com a gente quais são os medos, emoções e perguntas de quem fica e vê aquela pessoa querida partindo para tão longe.

Dúvidas?

Escreva aqui nos comentários.

Todos os comentários devem seguir estas regras. Caso contrário, o comentário poderá ser removido e você poderá ser banido da comunidade.

  1. Não divulgue produtos ou serviços sem a autorização dos administradores – você poderá ser banido da plataforma e a mensagem será excluída.
  2. Não poste mensagens com conteúdo de brincadeira, piadas, racismo, pornografia, ou ativismo político;
  3. Antes de postar, releia e analise se o conteúdo não ofende algum dos membros do grupo.
  4. Leve em conta a lei que regula os direitos autorais.

Participe da discussão

  1. Milene avatar
  2. Marcela avatar
  3. NoemiNina avatar
  4. Babi avatar
  5. Bruna avatar
  6. Marcela avatar

20 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Nunca morei em outro país. Sei que será desafiador, porém ao longo do tempo vamos ganhando maturidade e aprendendo lidar com algumas situações. Hoje minha prioridade, como mãe, é que meus filhos tenham mais oportunidades e qualidade de vida e para isso terei que fazer alguns sacrifícios. Como a Noemi falou… Temos a tecnologia que ajuda a nos manter mais “próximos”. 🙌🏼🙏🏼🥰

    1. Acho que eu iria querer o mesmo se tivesse filhos também! A tecnologia nos ajuda demais a superar a distância! ❤️

  2. Eu sempre tive esse espírito aventureira, amo viajar! Uma vez fiquei 3 meses longe de casa rs, ela ficou aos prantos quando me viu saindo com as malas, parecia que nunca mais iria voltar pra casa hahaha, aquilo partiu meu coração e quase desisti da viagem!
    Hoje me sinto mais livre, minha mãe já partiu algum tempo, confesso que não iria conseguir ficar sem ela. Acredito que por isso, nunca tive tanta vontade de morar em outro país na época.
    Hoje estou pronta pra recomeçar!
    Vou sentir falta dos demais familiares e reuniões em família (churrasco kkkk), amigos! Mas, ao mesmo tempo me sinto encorajada por muitos.
    Hoje temos muito mais tecnologia ao nosso favor, e forma de se comunicar não irá faltar.

    1. te entendo bem! Todas as vezes que viajei sem data para voltar, chorei o caminho todo do duty free até o meu portão! Essa, com certeza, é a parte mais difícil de morar forar, mas é adaptável como tudo na vida. ❤️

  3. Olá!
    Já morei em outro país e sem sobra de dúvidas é necessário ter muita certeza para prosseguir com o plano, principalmente quem for muito apegado a família… Eu tive uma experiência melhor do que eu esperava, fiquei “homesick” por 3 meses mas depois consegui me acostumar. Mesmo tendo saudades, conversava com todos pela internet e acabava mantendo essa união mesmo com toda a distância. Sem contar que existe a possibilidade de se planejar e visitar para ambos os lados, a saudade inclusive ajuda a ter foco para isso. Ir embora a primeira vez é sempre mais difícil, depois a gente tira de letra!

    1. Olá Bárbara, a interent ajuda muito nisso. As piores datas para mim eram os feriados e aniversários.

      1. Sim, as diferenças de horário atrapalham muito! Me recordo que uma vez, compraram um bolo para fazer uma surpresa virtual no meu aniversário e eu não esperei para fazer uma chamada em vídeo, pois precisava ir dormir. No dia seguinte, tinha uma foto delas com meu bolinho, eu chorei que nem criança! rsrs

  4. Eu e meu esposo moramos por muitos anos fora da cidade onde estão nossas famílias (claro que nem se compara a morar em outro país), mas aproveitamos a experiência para já ter ideia de como seria essa adaptação de não poder vê-los.. nos viramo super bem, mas não é nada fácil! Especialmente nas datas comemorativas ou aqueles momentos onde sabemos que a família costuma se reunir e não podemos estar lá. Eu acho que pra mim o mais difícil sobre isso ao ir para o Canadá, é pq como vamos recomeçar a vida, ainda não dá pra planejar quando poderemos voltar ao Brasil e isso dá uma boa apertada no coração. Mas creio que a vida é feita disso: grandes conquistas vem com grandes renúncias/importantes escolhas (não no sentido de renunciar e esquecer a família, mas no sentido de abrir mão de estar perto deles). E ainda bem que hoje tem internet, vídeo chamada pra matar a saudade pelo menos um pouquinho, e a família tb pode ir pro Canadá nos visitar 🙂

    1. e ainda tivemos uma pandemia no meio do caminho que nos deixou mais longe de todos por não podermos nem visitar a família, né! 🙁

      Mas a internet com certeza nos ajuda muito!!! 🙏

  5. O sonho é poder ir com meu namorado, construirmos uma base e ajudar os nossos velhinhos ou com dinheiro ou trazendo eles junto depois … Não é mistério para ninguém aqui a precariedade do sistema de saúde brasileiro ainda mais para os idosos.

  6. Só de ver esse vídeo meu coração aperta! É a pior parte do nosso sonho, abdicar de estar perto da família…

  7. Foram muitas idas ao aeroporto, e por mais acostumados que estivéssemos, a despedida sempre foi bem difícil, mas sempre respeitando e apoiando as escolhas dos nossos filhos, até que um dia chegou a nossa vez de passar por aquele portão. Está valendo a pena este recomeço!

  8. Chorei muito no aeroporto… Era a primeira vez na vida que eu ficaria longe da minha família, mas graças a deus existe a internet e nos falamos todos os dias!

    1. Sim!!! eu vivi com uma família de italianos idosos e eles uma vez me falaram pra eu dizer algo para a minha família. Peguei o celular, enviei a mensagem e a minha família respondeu bem rápido. Lembro dele ter ficado chocado e dizer que na época dele as cartas levavam meses para chegar e meses para voltar. haha Que bom que existe a internet.

  9. O mais difícil de estar longe para mim é não poder estar perto nos momentos especiais como aniversários e conquistas de quem amamos e nos momento inesperados também.
    Quando você sabe que alguém que você ama está sofrendo por algum motivo e você não pode estar ao lado para oferecer conforto e ajuda é o mais custoso e complexo da vida expatriada.

    1. Exatamente! Concordo muito com você. Esses momentos são os piores e a gente precisa estar bem forte emocionalmente para conseguir passar por isso bem.

Menu
Se você precisa se registrar na plataforma (gratuita), clique aqui.
Já é membro, clique aqui.

Vim Pro Canadá

FREE
VIEW