fbpx

Planejamento e a cultura canadense

Do clima à pontualidade, no trabalho e até no transporte: como a habilidade de planejamento pode ajudar você a viver melhor no Canadá.

O Brasil é a terra do improviso e do jeitinho, duas habilidades que correm em nosso sangue, de tão enraizados que estão em nossa cultura. A desenvoltura na arte de improvisar, nós incorporamos como vantagem competitiva e até tomamos a liberdade de traduzir como resourcefulness. Já o “jeitinho brasileiro”, nem colocamos na mala.

 

No Canadá, a banda toca diferente. Naquela fábula da formiga e da cigarra, a formiga é o canadense e a cigarra ficaria com frio e fome. Isto é: aqui, é esperado que você saiba se PLANEJAR e que conheça as regras do jogo antecipadamente pra poder tomar decisões inteligentes.

 

O assunto desse post é mostrar como se planejar é uma habilidade fundamental no dia a dia do canadense e como ela protagoniza diversas áreas da vida. São tantas que não conseguiremos citar todas em um só post (ufa!), mas selecionamos as mais frequentes de nossa vivência por aqui.

Clima

Checar a previsão do dia é uma questão de sobrevivência! As temperaturas são extremas, tanto no inverno (até -40o C) quanto no verão (40o C ou mais). A amplitude térmica em 24h ou 48h também pode ser imensa. Por isso, previsões do dia e de cada hora podem “salvar a sua vida”, ainda mais se houver heat alert ou storm alert.

Em clima, entra também ter no armário e saber vestir as roupas e acessórios adequados para o dia. Por exemplo, botas de neve que, além de proteger do frio e da umidade, evitam escorregões. E, mais do que itens da moda, gorros (orelhas), luvas (mãos e dedos) e cachecóis (nariz) são indispensáveis para proteger as extremidades.

 

Assim como na arquitetura e planejamento urbano, cidades, moradias e comércios são preparados para enfrentar o clima. Portanto, você também deve se planejar pra não ficar exposto ao frio ou ao calor extremo em áreas externas mais do que o estritamente necessário.

Pontualidade

Os canadenses herdaram a pontualidade dos britânicos. Se alguém for atrasar um minuto sequer, é esperado que avise com antecedência. E sim, um minuto é atraso! Você deve se planejar para estar disponível pelo menos 10 minutos antes – ou mais.

Portanto, cuidado: nossos elegantes 15 minutos de atraso são interpretados no Canadá como um desrespeito com o tempo do outro! Não existe desculpa que justifique um atraso, não dá pra culpar o trânsito, o clima, o que for, como fazemos com naturalidade no Brasil, já que os canadenses esperam de todo mundo um planejamento que preveja possíveis atrasos. Se acontecer, “dê seus pulos” pra avisar!

No trabalho

O item acima é ainda mais relevante nessa esfera! Se você trabalhar por hora, você precisa estar pronto pra começar exatamente na hora e minuto do início do seu turno. Planeje-se pra chegar, pelo menos, 15 minutos antes, sempre.

Em escritórios, além da pontualidade no início do seu dia, as reuniões têm horário justo pra começar e duração pré-estipulada que precisa ser cumprida. Se for demorar mais, você deve marcar uma nova reunião. Isso demonstra respeito com o tempo das outras pessoas. Ou seja, você deve planejar quanto tempo realmente vai levar para cobrir o assunto e se preparar bem para cumprir os horários.

Marca um horário na minha agenda…

É bem provável que você não consiga falar com quem você quer na hora que você quer. É comum que os canadenses peçam para você agendar, mesmo sabendo que demoraria 5 minutinhos (que, sabemos, normalmente viram 10 ou 15).

Se a pessoa não planejou para incluir você nas tarefas dela naquele momento, pode ser conveniente pra você, mas provavelmente não é pra ela. Não é restrito a trabalho, pode acontecer em várias esferas, como na pessoal, numa visita a um amigo, por exemplo.

Na escola ou faculdade

Gerenciamento de tempo é uma habilidade essencial para faculdade. Cada trabalho ou atividade pra nota tem um prazo: você fica sabendo com antecedência para se organizar e adiantar o que for preciso.

Na minha faculdade (Má), na entrega dos trabalhos, cada dia de atraso desconta 5% da nota, tolerado até o 10o dia. Você pode pedir mais prazo sem punição ao professor, mas, como é discricionário, não é certeza de que será concedido – não é “jeitinho”! Além disso, precisa prever seu atraso e pedir extensão uma semana antes, pelo menos. Algumas exceções, trabalhos específicos, não têm tolerância alguma.

 

Alguns professores podem dar um apontamento por atraso na aula ou considerar falta se você chegar além da tolerância, segundo critérios do professor. É esperado que você planeje o seu caminho para driblar imprevistos, ainda que tenha que sair mais cedo de casa e que você more em outra cidade, com trajeto de 2 horas, como era o meu caso.

Transporte público – horários

Se você depende dele, planeje o seu caminho! Ônibus, street cars e metrô têm hora e minuto certos para passar em cada ponto e, geralmente, cumprem à risca. Mas pode acontecer de adiantar ou atrasar, ou mudar a rota por conta de obras, por exemplo.

É importante acompanhar pelo aplicativo antes de sair de casa e chegar no ponto com uns 5 minutos de respiro. Alguns motoristas aguardam ao ver um indivíduo correndo em direção ao ponto, mas não conte com isso. A maioria não atrasa o resto das pessoas por causa de uma (ou nem mesmo vê).

Transporte público – tarifas: como e onde pagar

Antes de pegar um transporte, pesquise e entenda se você precisa ter um cartão ou passe comprado previamente, ou, ainda, se é possível pagar em dinheiro (se só aceita moedas, se há troco). É obrigatório ter uma opção de pagamento e manter um comprovante dele na viagem. Não corra o risco de levar sermão e multa!

Pra dar o nosso exemplo, em Toronto e região, há as duas opções:

  1. Pagar o valor exato com moedas. A regra é que motorista não lida com dinheiro e, portanto, não tem troco; o passageiro deposita diretamente numa caixinha que não dá pra abrir. No caso do street car, o condutor fica isolado na cabine, paga-se direto na máquina, que só aceita moedas.
  2. A alternativa é pagar com o cartão de transporte já carregado, com saldo suficiente. O cartão, atualmente, é vendido online (demora pra chegar), em estações, ou no aeroporto (Pearson International), por exemplo. Dica: tenha sempre moedas, caso esqueça ou perca o cartão!

Estacionamento – onde parar e como pagar?

De carro, o planejamento é parecido: nem sempre há onde parar, e muitos estacionamentos contam com aplicativo ou moedinhas pra pagar apenas. Já o pernoite na rua, dependendo do local, também pode ser restrito a moradores da região com autorização da prefeitura – era assim em nossa antiga casa.

 

Esses exemplos devem ser suficientes pra notar como a habilidade de se planejar está na base da cultura canadense.

 

Sabendo disso, que tal começar a exercitá-la desde agora? Assim, você pode amenizar o impacto da transição e o choque cultural, e se adaptar mais rapidamente. 😉

Má e Fê

@escolhacanada

A Má e o Fê são os autores do perfil @escolhacanada no Instagram. São Residentes Permanentes do Canadá e chamam Toronto de lar desde 2019. Antes disso, viveram no país como estudantes (2011/2012: Má/Toronto, 2008/2009: Fê/Vancouver). Os planos Canadá individuais se transformaram no sonho do casal de voltar. E, dessa vez, é pra ficar.

Qualquer dúvida sobre esse post, pode mandar DM ou e-mail [email protected]

Participe da discussão

  1. Má avatar
  2. Milene avatar
  3. Marcela avatar
  4. Mayara avatar

6 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Cada dia me surpreendo mais com a riqueza de informações! Já sabia de alguns pontos, mas essas dicas valem ouro. Obrigada! 🥰🥰

    1. Oi, Marcela,
      Fico feliz que tenha gostado! Nós adoramos compartilhar um pouquinho das nossas percepções. Assim já dá pra se prevenir e se organizar com algumas delas. 🥰

Menu
Se você precisa se registrar na plataforma (gratuita), clique aqui.
Já é membro, clique aqui.